sinto saudade de tanta gente
de tanto abraço bom que eu dava
das risadas no meio da rua e
daquela preocupação com a bolsa
pendurada do ombro à cintura

aquela falta de pular e dançar, sabe?
sinto saudade, muita saudade
de todos os rolês e de ver
amanhecendo o dia na varanda de casa

sinto saudade dos encontros felizes
feijões verdes, cervejas, papos-cabeça
aqueles questionamentos e discussões
que faziam um almoço se estender até a janta

saudade demais de um bom date
que acabava em cama e suor
chuveirada e sono bom pra acabar a ressaca
e mais meia dúzia de histórias contadas
antes de dormir nos braços do
bom e velho Morfeu

Um virginiano falando sobre literatura, séries, música e cultura LGBTQIA + Sendo resistência desde que me entendo por gente.